Museu da Carris

PASSE DO GAGO COUTINHO

Enviar este conteúdo

Os seus dados:

 

Destinatário(s):

Caso pretenda, junte também uma mensagem:

2014-05-01

Peça do mês | maio

Em 1961, a Revista Lisboa Carris, inseria nas suas páginas um apontamento sobre um bilhete de assinatura, passado em nome de Carlos Viegas Gago Coutinho e que, devolvido à CARRIS pelo Ministério da Fazenda aquando de uma ausência oficial fora do país, no já longínquo ano de 1891, por um feliz acaso, sobreviveu à passagem do tempo.
O seu titular é ainda um jovem (nasceu em 1869 e faleceu em 1959), de chapéu “palhinhas” na cabeça e gravata às bolas, a quem falta percorrer o longo caminho que o elevará ao posto de Almirante da Armada Portuguesa e à notabilização, alcançada, principalmente, após a viagem de travessia aérea do Atlântico Sul, realizada na companhia de Sacadura Cabral, em 1922.
Citando o autor do apontamento na Revista, o Almirante Gago Coutinho “foi sempre um homem simples, mesmo depois de célebre. Nunca teve automóvel e, em terra firme, adorava andar de elétrico. Eu, seu vizinho durante anos e anos, viajei muitas vezes na sua companhia nos carros de S. bento que ambos tomávamos no Largo do Conde Barão, quando íamos para a Baixa.”

< voltar