Museu da Carris

Destaques

Enviar este conteúdo

Os seus dados:

 

Destinatário(s):

Caso pretenda, junte também uma mensagem:

 
Esteja atento às principais notícias e atividades do Museu!

 
01.12.13 Férias de Natal no Museu da CARRIS
Aumentar

Venha connosco nesta aventura de Natal descobrir jogos, brincadeiras e muitas atividades para as suas férias preferidas! Escondidos atrás do azevinho estão uns duendes verdes de meias às riscas atarefados a preparar o Natal: desde as cartas com selo e carimbo, à árvore dos desejos, passando por enfeites, luzinhas, velas surpresa, bolachas de gengibre e um expresso que vai direitinho ao Pólo Norte...

Para mais informações, clique aqui.

30.10.13 Serviço Educativo do Museu com página no Facebook
Aumentar

Sabia que o Serviço Educativo do Museu da CARRIS já tem página no facebook?

Faça like e mantenha-se a par de todas as novidades.

28.10.13 Estamos a renovar o núcleo I e II do Museu da CARRIS

Com o objetivo de tornar o espaço mais abrangente, incluindo a história do Metropolitano de Lisboa, mais funcional e direcionado para o visitante, estamos a renovar os espaços do núcleo I e II do Museu da CARRIS. Prometemos ser breves.


Durante este período poderá visitar os seguintes espaços:
  • Núcleo III: Aqui expomos alguns dos veículos, de trabalho e de transporte de passageiros, que fazem parte da reserva e que se encontram a aguardar restauro.
  • Galeria do Museu e Antiga Carpintaria: Onde divulgamos exposições de artistas diversos, com o apoio da Produção Tempos de Vista.
  • Sala de Projeção: Aproveite esta oportunidade para visionar aquele que é considerado um dos espetáculo multimédia culturais mais bem conseguidos sobre a história da cidade, o filme “Lisboa quem és tu?”, com sessões às 10:00, 11:00, 12:00, 14:00, 15:00 e 16:00 horas de 2.ª a 6.ª feira e às 15:00 horas aos sábados.

27.10.13 Village Underground inicia montagens
Aumentar

O projeto Village Underground já iniciou as montagens no Museu da CARRIS.

A estrutura do Village Underground Lisboa se encontra em fase de montagem, estando a sua finalização programada para o início de 2014. Numa segunda fase serão construídas novas estruturas que terão como fim acolher um espaço cultural multi funcional — palco de concertos, exposições, teatro, conferências — que servirá igualmente de plataforma de promoção dos próprios artistas que habitam e circulam entre as VU de Londres, Lisboa e Berlim.
Até ao final do ano nascerá, no Museu da CARRIS, em Alcântara, um projecto dedicado às indústrias criativas, numa celebração do retro com o urbano, que é metade centro cultural, metade centro de escritórios. Será certamente um espaço dinâmico e inspirador.

Apresentação do Village Underground:
Baseada nas séries Container City — estruturas arquitectónicas desenvolvidas a partir de contentores marítimos, que surgiram em Londres a partir de 2001 — a iniciativa Village Underground reúne de modo perspicaz os conceitos de arquitectura sustentável, co-working e industrias criativas, num projecto que se encontra já em funcionamento em Londres e Berlim.

Pelas mãos de Mariana Duarte Silva a iniciativa é agora importada para Lisboa. Duas torres compostas por 14 contentores receberão assim 60 espaços de trabalho, aos quais se juntarão ainda dois autocarros desactivados, que funcionarão como cafetaria e sala de reuniões, respectivamente.

O Village Underground nasceu há cinco anos em Londres, dentro de contentores marítimos e carruagens de metro desactivadas e re-utilizadas como espaço de escritórios, colocadas num topo de um prédio na East End. Trabalham lá cerca de 50 criativos que desfrutam juntamente com outros londrinos de um espaço cultural onde se fazem concertos, exposições e artes performativas. Esta plataforma internacional para a cultura já chegou a Nova Iorque e está em construção em Berlim.


01.10.13 Lisboa quem és tu no Museu da CARRIS
Aumentar

O MUSEU CARRIS tem procurado ativamente dinamizar a sua oferta cultural criando assim uma maior atração a novos públicos e promovendo a repetição periódica da visita. Neste âmbito, temos agora mais um motivo de orgulho, a instalação permanente no nosso espaço, daquele que tem sido considerado um dos mais bem conseguidos espetáculos multimédia culturais sobre a história da Cidade, o "Lisboa Quem És Tu?"

Disponível a partir de 19 de setembro no Museu da CARRIS.
Sessões: 10:00, 11:00, 12:00, 14:00, 15:00, 16:00 (dias de semana) | 15:00 (sábados)

Lisboa quem és tu? é um espetáculo que utiliza a tecnologia mais recente de desenho digital e animação, ligando o passado ao presente. Sem qualquer barreira linguística, recorre exclusivamente à imagem e a música 100% portuguesa. Usando sistemas de multiprojeção vídeo e multidifusão sonora, conduz os espetadores, durante 30 minutos, numa viagem encantatória pelo universo da capital portuguesa.

Através de filme e animação o público terá oportunidade de descobrir a cidade do outro lado das pedras, os segredos por contar das cantarias, viajar noutras épocas, conhecer pessoas e edifícios por detrás das atuais fachadas, ouvir os sons da paisagem urbana, maravilhar-se com o esplendor da luz, encontrar os heróis da história, dar-se conta de pormenores da cidade nunca apercebidos no quotidiano, permitir-se entretecer histórias na história desta cidade porto de partida e de chegada e identificar os sítios e os lugares.

Com uma metodologia complexa de abordagem e investigação, o resultado consiste numa identificação direta do já visto ou um estímulo do levar a ver. Com coerência e imagem direta, tornando-se facilmente reconhecível, trata-se a história da cidade através dos monumentos identitários, dos locais estratégicos, dos factos e das personagens marcantes do percurso histórico de Lisboa.

A Lisboa contemporânea só é possível por um percurso harmonioso na abordagem de alguns momentos. A história não é linear, é feita de sobressaltos, de acontecimentos, de gentes que povoaram e deixaram a sua marca nos diversos momentos.

Pretende-se assim um percurso desde uma Idade Média tumultuosa/ uma centralidade comercial: da Praça do Rio ao Terreiro do Paço, das Utopias na cidade à Praça do Comércio; do terramoto ao regicídio e deste à revolução dos cravos; das cetárias romanas à construção do Aqueduto das Águas Livres e às passarolas; dos Estaus aos Atos de Fé da Inquisição; dos Descobrimentos a D. Sebastião; os jardins, os palácios, os salões, os nobres, as gentes da cidade que trabalham e que quotidianamente fazem a História da cidade que pode ser lida nos desenhos da calçada, nos azulejos que contam histórias nos muros, nos símbolos de pedra que ligam as histórias à História.

Lisboa é um palco/plateia onde cada visitante é ator/espectador na tarefa fascinante de descobrir Quem és Tu, Lisboa.

Para mais informações consulte aqui.

Veja aqui preços das entradas neste espetáculo.

04.09.13 Já conhece o 28 Café?
Aumentar

O 28 Café é o novo café criado em parceria com o Museu da CARRIS, aberto desde agosto de 2013, junto ao Castelo de São Jorge.

O espaço recria ao pormenor um dos mais emblemáticos elétricos da capital, o 28, uma proposta original para um domingo à tarde em que aparece a chuva, fazendo as delícias de turistas e lisboetas.

O projeto foi concebido em parceria com o Museu da CARRIS, através da cedência de imagens, direitos de utilização e know-how.

O serviço é de cafetaria, com petiscos e refeições ligeiras, com lugares sentados e em pé.

Entre aqui e conheça o espaço!

28 Café nas notícias:

31.08.13 O “amarelo” de Lisboa celebra 112 anos
Aumentar

A Companhia Carris de Ferro de Lisboa S.A., operadora dos transportes públicos de superfície na cidade de Lisboa, comemorou no dia 31 de Agosto, o 112º aniversário do serviço de tração elétrica. Com efeito, foi nesse dia do ano de 1901 que os lisboetas, pela primeira vez, puderam utilizar aquele novo e revolucionário tipo de transporte.

Fundada em 1872, a CARRIS, logo no ano seguinte inaugurou o serviço público com veículos de tração animal deslocando-se sobre carris, os “americanos”.

O sucesso que se lhe seguiu não impediu que, desde muito cedo, a Empresa, face aos desenvolvimentos tecnológicos que se vinham verificando no campo dos transportes, considerasse a sua substituição por um qualquer outro sistema mais rentável e eficaz, tendo a preferência recaído sobre os carros elétricos.

Em 1900 tiveram início os trabalhos necessários à sua implantação, os quais incluíram o relançamento da via, a instalação da rede aérea e até a construção de uma fábrica termoelétrica capaz de fornecer toda a energia elétrica necessária ao normal funcionamento do sistema.

A primeira linha de elétricos começou a funcionar no dia 31 de Agosto de 1901 entre o Cais do Sodré e Ribamar. Conforme um órgão da Comunicação Social da época relatava:

“A inauguração da tração elétrica satisfez completamente o público que em grande número concorreu a presenciar o importante melhoramento: elegância luxuosa dos carros, a comodidade que oferecem aos passageiros e a rapidez da marcha (...). Os carros são abertos, amplos, onde os passageiros, ainda mesmo nutridos, se podem acomodar à vontade. As carreiras começaram às 4 horas e 40 minutos, hora a que saiu o primeiro carro da estação de Santo Amaro”.

Em 1905 já toda a rede estava eletrificada tendo-se verificado, nos anos subsequentes, o normal crescimento da frota e alargamento da rede.

A Carris convida toda a população a visitar o Museu da Carris, onde, para além de ficar a conhecer a história da empresa, poderá ver a evolução do carro elétrico ao longo destes 112 anos, bem como desfrutar da experiência única de andar num elétrico de 1901. 

O Museu da CARRIS, aberto das 10 às 18 horas (encerrando aos Sábados das 13 às 14 horas para almoço, Domingos e Feriados), na Rua 1º de Maio 101 – 103, 1300-472 LISBOA, telefone nº. 21 361 30 87, e-mail museu@carris.pt

30.08.13 Exposição Contínuo
Aumentar

Venha conhecer a mais recente exposição patente de 18 de julho até 30 de setembro na Galeria Museu da CARRIS 
“CONTÍNUO”, uma exposição da autoria de Miguel Palma e João Ferro Martins

Com curadoria de Bruno Leitão “Contínuo” é um encontro de duas gerações distintas em que Miguel Palma e João Ferro Martins expõem a dicotomia Ocidente/Oriente. 
A exposição estende-se pelo local que outrora foi a Carpintaria da CARRIS e onde as peças apresentadas por Miguel Palma e João Ferro Martins se fundem em perfeita sintonia com o espaço envolvente. Como define o curador da exposição Bruno Leitão ”esta ocasião articula-se num encontro sobre formas de pensar a distância e cultura, entre o que realmente conhecemos e o que imaginamos acerca de outra sociedade.”

17.07.13 SERVIÇO EDUCATIVO
Aumentar

Já conhece as atividades que compoem o Serviço Educativo do Museu da CARRIS?
Clique aqui e fique a conhecer-nos melhor.


13.07.13 Aniversário do Elevador de Santa Justa
Aumentar

É já no próximo dia 10 de julho (quarta-feira) que celebramos o 111.º aniversário da inauguração do Elevador do Carmo ou, como desde muito cedo se tornou conhecido, de Santa Justa.
“Ex libris” da Baixa lisboeta, este elevador, hoje propriedade da Companhia CARRIS, foi projetado pelo Eng. Raul Mesnier de Ponsard e era, na origem, propriedade de uma empresa especialmente criada para a sua construção e exploração: a Empresa do Elevador do Carmo.
Os trabalhos para a sua construção tiveram início em 1900 com a remoção de terras nas Escadinhas de Santa Justa e o seu momento mais marcante no dia 31 de agosto de 1901, quando, por sistema de alavanca, em poucas horas, foi feito o lançamento do passadiço destinado a estabelecer, por sobre a Rua do Carmo, ligação entre o topo do Elevador e o Largo daquele nome. Também nesse dia e igualmente importante para o quotidiano e desenvolvimento da cidade, foi a inauguração, pela CARRIS, do serviço de carros eléctricos.
Inicialmente o Elevador utilizava o vapor como força de tração. Em 1907 procedeu-se à eletrificação do sistema.
Em fevereiro de 2002, tal como sucedeu com os Ascensores do Lavra, da Glória e da Bica, também eles propriedade da CARRIS, o Elevador do Carmo foi classificado como Monumento Nacional.

06.07.13 Arraial de Verão no Museu da CARRIS
Aumentar

Venha comemorar o Verão e participar no Arraial de Verão promovido pela Orquestra de Música da CARRIS, no Museu da CARRIS, no próximo dia 6 de julho.

Teremos muita música e petiscos à sua espera. Entrada gratuita!

Das 17:00 às 21:30 horas, não falte! Marque já na sua agenda!

21.06.13 Lisboa em Si
Aumentar

Mais de 25 barcos ancorados ao longo do Tejo, sinos de igrejas, comboios, carros de bombeiros e elétricos, compõem a orquestra que vai explorar os sons da cidade no evento "Lisboa em Si", que se realiza no dia 21 de junho, às 22:00 horas, na zona ribeirinha da capital portuguesa.

Durante sete minutos em homenagem às sete colinas da cidade, sob direção artística de Pedro Castanheira, mais de cem músicos interpretam uma peça composta especificamente para apitos de barcos, sinos, comboios, carros de bombeiros e elétricos, tocados a partir de uma partitura composta tendo em conta estas sonoridades e o seu alcance na cidade.

O objetivo é que, através de uma experiência sensorial única e irrepetível, lisboetas e visitantes da cidade façam sete minutos de silêncio em homenagem a uma capital histórica que é ao mesmo tempo contemporânea.

A composição musical pode ser escutada um pouco por toda a Zona Ribeirinha, sendo os palcos Lisboa em Si, ou pontos de escuta recomendados, Ribeira das Naus, Castelo de São Jorge, Miradouro de Santa Luzia e Portas do Sol e Terreiro do Paço .

O projeto engloba ainda uma componente científica, desenvolvida em parceria com a Sociedade Portuguesa de Acústica e a Escola Superior de Música de Lisboa, que consiste na captação e estudo da propagação sonora destas várias fontes, com o objetivo de desenvolver um software específico que permite saber onde e em que condições se propagam estes sons.

A iniciativa é uma co-produção da Cooperativa Fora de Si e da Câmara Municipal de Lisboa, com o apoio do Turismo de Lisboa e da Administração do Porto de Lisboa, e com a participação da Marinha, Transtejo/ Soflusa, CP, Carris, Patriarcado de Lisboa e Escola Superior de Música de Lisboa, entre outras entidades.

Mais informações em www.lisboaemsi.com

Pedro Castanheira já apresentou uma peça musical em vídeo denominada “CARRIS em Si”, no qual o músico apresentou uma curta metragem realizada no Museu da CARRIS, utilizando sons da cidade de Lisboa em conjunto com inúmeros sons dos vários objetos do espólio da CARRIS. Veja aqui o filme realizado:

06.05.13 Newsletter do Museu
Aumentar

Já está disponivel a nova newsletter do Museu da CARRIS onde pode encontrar todas as novidades sobre o Museu.

01.05.13 Descontos no Museu
Aumentar

Aproveite os descontos que o Museu da CARRIS e o Museu Arqueológico do Carmo têm para lhe oferecer.

O Museu da CARRIS e o Museu Arqueológico do Carmo, associam-se numa parceria que oferece descontos aos seus visitantes.
Agora, o bilhete do Museu Arqueológico do Carmo dá acesso a 50% de desconto na entrada no Museu da CARRIS e o bilhete do Museu da CARRIS dá acesso a 40% de desconto na entrada no Museu Arqueológico do Carmo.
Aproveite esta oportunidade.

30.04.13 "Divagações" no Museu da CARRIS
Aumentar

“Divagações”. Assim se intitula a nova exposição patente na Galeria do Museu da CARRIS, em exibição de 26 de janeiro a 30 de abril. Em colaboração com a Galeria Caroline Pagès, o espaço apresenta obras de quatro artistas que traçam um paralelismo entre a arte e o mundo interior dos passageiros anónimos dos transportes públicos.
  
António Pedro Mendes, comissário da exposição, define as obras como representações do “encarreirar/pensar/divagar com que vamos tecendo os dias neste percurso a que se chama vida”. António Pedro Mendes explica que as obras de Carla Cabana, Jorge dos Reis, Mariana Marote e Pinto Martinho da Silva foram escolhidas de modo a dar a conhecer ao espectador os “pensamentos dispersos e as reflexões (divagações) que invadem cada indivíduo, enquanto anónimo, mal entra num autocarro ou elétrico. E também porque, estando num Museu da Carris, faria todo o sentido desenvolver algo ligado à vida deste edifício.”
  
O título da exposição funde-se com a história do local onde está exposta, representando emoções específicas. Para o curador, António Pedro Mendes, “Mariana Marote inspira os visitantes a poderem criar as suas próprias divagações perante a possibilidade de conceder um novo final a um aparentemente já existente, mostrando que há sempre novas perspetivas, novos percursos, novas paragens.”
  
Por seu lado, Jorge dos Reis revela estranhas palavras, criadas para denunciar a parafernália informativa que invade os sentidos, na pós-modernidade, permitindo ao visitante refletir sobre o motivo de tanta informação. Paralelamente, um vídeo da artista Carla Cabanas mostra que “cada pessoa, ao desenhar um mapa imaginário para ir de um ponto “a” a um ponto “b”, não está mais do que a desenhar as suas próprias convicções do mundo”, adianta António Pedro Mendes.
  
Por fim, as telas de Pinto Marinho da Silva transportam os visitantes, através de cores quentes, para todos os sítios ou para lugar nenhum. “Questionar, questionar, questionar!?”. É uma dúvida que Pinto Marinho deixa em aberto e que António Pedro Mendes realça sob a forma de um desafio.
  
Galeria Caroline Pagès
A Galeria Caroline Pagès (www.carolinepages.com) é uma galeria de arte contemporânea que abriu em 2007 num espaçoso apartamento de Lisboa. A fundadora Caroline Pagès é natural de França. Representa artistas estabelecidos e emergentes, tanto portugueses como internacionais, que produzem pintura, desenho, fotografia, instalação, escultura e vídeo. A galeria trabalha na promoção dos seus artistas numa escala internacional, produzindo exposições nas suas instalações assim como em centros de arte, instituições, museus e outras galerias.
 

Museu da CARRIS
 
Inaugurado no dia 12 de Janeiro de 1999 por Sua Excelência o Presidente da República, o Museu da CARRIS tem como missão e objetivos não só a constituição de um acervo patrimonial capaz de, através dos objetos considerados de valor histórico, assegurar um conhecimento global da Empresa e da contribuição prestada ao longo da sua existência ao quotidiano e ao desenvolvimento de Lisboa, mas também a manutenção, exposição e divulgação desse acervo.
 
Com o seu Museu, a CARRIS tem o prazer de divulgar ao público em geral as suas memórias e o contributo que há mais de um século vem prestando ao desenvolvimento de Lisboa.
 
A Galeria do Museu da CARRIS situa-se no Complexo da CARRIS de Santo Amaro, na Rua 1º de Maio nº 101-103, em Lisboa. Horário: Aberto todos os dias das 10h às 17h, exceto Domingos e feriados.

29.03.13 1ª Maratona Fotográfica CARRIS Metro
Aumentar

Veja a exposição dos trabalhos premiados nesta iniciativa de 15 a 29 de março, no Museu da CARRIS.

Para saber mais sobre este projeto clique aqui.

22.03.13 Mercado no Museu
Aumentar

Encontre o Mercado Gastronomia e Arte Popular nos dias 22, 23 e 24 de março no Museu da CARRIS, entre as 12:00 e as 20:00 horas.

Para saber mais clique aqui.

31.12.12 Tempos de Vista
Aumentar

A Inauguração da Exposição será no dia 9 de novembro pelas 17:30 horas, que contará com a presença das cinco artistas. A exposição estará aberta ao público até dia 15 de Dezembro, de Segunda a Sábado, entre as 10:00 e as 18:00 horas.
 
Durante o período de exposição realizam-se dois Workshops, nos dias 10 e 24 de novembro. O primeiro workshop intitulado Atelier na Carpintaria Mecânica terá a duração de 90 minutos, entre as 10:30 e as 12:00 horas, e destina-se a crianças entre os 7 e os 11 anos. Será dirigido pela monitora Inês Teles, que fará uma breve visita à exposição Zona Desactivada, seguida de uma actividade que combina o desenho projectual e a pintura acrílica. Ter-se-á a oportunidade de planear e realizar a imagem exterior de um autocarro/ elétrico. O autocarro projectado pelo artista Eduardo Nery e a obra colectiva dos Tempos de Vista irão inspirar a criação de novos modelos.
 
O segundo workshop Cianotípia no Museu da Carris, terá a duração de quatro horas entre as 14:00 e as 18:00 horas, e destina-se a jovens a partir dos 16 anos. Com a presença da artista Xana Sousa propõe-se que experimentem a técnica fotográfica da cianotípia num diálogo com os objectos do Museu da Carris. Moldes de madeira e outros objectos esquecidos que existem na Antiga Carpintaria da Carris estão à nossa disposição para podermos criar diversas composições de tons azuis. Os químicos utilizados neste processo permitem que o suporte fique sensível à luz solar e deixe a nossa composição gravada no suporte de tecido ou papel que iremos utilizar.
 
No último dia de exposição, 15 de Dezembro, haverá Mesa Redonda pelas 16:00 horas, com a presença das artistas e dos autores do texto para o Catálogo Tempos de Vista – Zona Desactivada.

Para esta conversa informal que abordará os aspetos de pesquisa e/ou históricos, o projecto e o processo de produção artística, contamos com o testemunho do Professor Doutor
 
Catedrático Carlos Vidal (FBAUL), do Professor Doutor Fernando Rosa Dias (FBAUL), da Curadora Susana Fonseca (Museu da Carris). Pelas 18:00 horas do dia 15 de Dezembro, encerramos o período expositivo com uma Finissage.

Tempos de vista na imprensa: Noticia Vogue
 

31.12.12 Boas Festas
Aumentar

30.11.12 Pedro Valdez Cardoso
Aumentar

Pedro Valdez Cardoso expõe na Galeria do Museu da CARRIS
 
O artista plástico Pedro Valdez Cardoso inaugura no próximo dia 25 de Outubro, na Galeria do Museu da CARRIS, a nova exposição intitulada de “Sightseeing”. O projeto elaborado em parceria com a Galeria Caroline Pagès é comissariada por Bruno Leitão e vai estar em exibição até dia 29 de Dezembro.
 
“Sightseeing”, segundo Bruno Leitão “é um projeto que tem como um dos alvos a ideia de turismo, mas que, cujo título enganadoramente, sugere essa agradável ideia de conhecimento que acumulamos ao visitar em lazer um sitio que nos é estranho ou no mínimo pouco familiar. A palmeira de napa remete de imediato para uma ideia de viagem e de tropicalidade...tal como as inúmeras palmeiras que existem em Lisboa, reminiscentes de um passado ligado às colónias e como afirmação de um cosmopolitismo inédito na Europa no que toca ao contacto com o Mundo não Ocidental.”
 
Esta exposição agrega a promessa do Modernismo, dos transportes e do bem-estar prometido por um Mundo que assegurava um futuro cada vez melhor para cada geração vindoura com empregos sustentáveis e tempo de lazer de sobeja, contra um sentimento de insatisfação, seja este real ou fruto do tédio da juventude.
 
Pedro Valdez Cardoso nasceu em Lisboa onde atualmente reside e trabalha. Formou-se em Realização Plástica do Espetáculo pela Escola Superior de Teatro e Cinema e realizou um Curso Avançado de Artes Visuais pela Escola de Artes Visuais Maumaus, em Lisboa.
 
A nível individual expos vários trabalhos entre eles:“Les Dresseurs” na Galeria Presença no Porto (2011); “Mme. Pompadour voyage en Afrique”, Galeria Bacelos em Vigo - Espanha (2009); “Crude”, Museu da Cidade em Lisboa (2007); “Areias Movediças" no Centro Difusor de Arte em Lisboa (2005).
 
Tem trabalhos seus em algumas exposições coletivas tais como: “O Fim do Mundo”, Centre Culturel de Rencontre Abbaye de Neumünster, Luxemburg (2012); “MUITO OBRIGADO – Artistas portugueses en la colección de la Fundación Coca-Cola”, DA2 Domus Artium, Salamanca, Espanha (2010); “Café Portugal, Design Factory”, Bratislava, Eslovénia; “Where are you From? – Contemporary Art from Portugal”, Faulconer Gallery, Grinel College, Iowa/USA (2008).

Está representado em várias coleções públicas e privadas espalhadas por Portugal, Espanha, Suíça, Noruega e E.U.A.
 
Galeria Caroline Pagès

A Galeria Caroline Pagès (www.carolinepages.com) é uma galeria de arte contemporânea que abriu em 2007 num espaçoso apartamento de Lisboa. A fundadora Caroline Pagès é natural de França. Representa artistas estabelecidos e emergentes, tanto portugueses como internacionais, que produzem pintura, desenho, fotografia, instalação, escultura e vídeo. A galeria trabalha na promoção dos seus artistas numa escala internacional, produzindo exposições nas suas instalações assim como em centros de arte, instituições, museus e outras galerias.
 
Museu da CARRIS

Inaugurado no dia 12 de Janeiro de 1999 por Sua Excelência o Presidente da República, o Museu da CARRIS tem como missão e objetivos não só a constituição de um acervo patrimonial capaz de, através dos objetos considerados de valor histórico, assegurar um conhecimento global da Empresa e da contribuição prestada ao longo da sua existência ao quotidiano e ao desenvolvimento de Lisboa, mas também a manutenção, exposição e divulgação desse acervo.
 
Com o seu Museu, a CARRIS tem o prazer de divulgar ao público em geral as suas memórias e o contributo que há mais de um século vem prestando ao desenvolvimento de Lisboa.
 
A Galeria do Museu da CARRIS situa-se no Complexo da CARRIS de Santo Amaro, na Rua 1º de Maio nº 101-103, em Lisboa. Horário: Aberto todos os dias das 10h às 17h, exceto Domingos e feriados.

20.09.12 140 anos da CARRIS
Aumentar

Comemorações do aniversário da CARRIS no Museu da CARRIS

A partir de 20 de setembro, não deixe de visitar o Museu da CARRIS e conheça os nossos projetos.

Integrados nas comemorações dos 140 anos da CARRIS, o Museu desenvolveu um conjunto de parcerias que visam tornar o espaço de Santo Amaro um Polo Cultural da cidade a visitar. A partir de 20 de setembro, visite o Museu da CARRIS e descubra os novos projetos.

  • “Tempos de Vista” - residência artística num espaço que a CARRIS detém num prédio junto às instalações do Museu, onde esteve em tempos instalada a “Antiga Carpintaria”, atualmente desativada e desocupada. A Empresa pretende agora dar uma nova vida a este espaço, mediante a concretização de uma parceria com vários artistas no âmbito do projeto “Tempos de Vista”. Este projeto visa trabalhar espaços com valor histórico, através da intervenção artística do mesmo, pretendendo estabelecer a relação entre o passado e o presente do “lugar”, permitindo a sua revisitação, por parte de um público mais especifico, aqueles que habitam e fruem a zona circundante dos edifícios escolhidos e um público mais abrangente, artístico e generalista.
  • Nova loja MUSEU e novo merchandising - a "nova" loja do Museu CARRIS, que conta agora com uma nova disposição e uma oferta de produtos mais alargada e pensada para os públicos nacional e turistas.
  • 3º núcleo do Museu - dedicado a "veículos a aguardar restauro", onde os visitantes poderão relembrar ou conhecer veículos até aqui afastados do olhar público.
  • Village Underground - O Village Underground (VU) é uma plataforma internacional para a cultura e para a criatividade, que existe em Londres e que está em fase de implementação em Berlim e em Lisboa, sendo uma marca em expansão. A CARRIS associou-se ao projeto através da cedência de dois autocarros antigos, de marca Daimler Fleetline, os quais se destinam a servir de espaço de trabalho para desenvolvimento de atividades criativas por parte de artistas nacionais e estrangeiros.

Lost & Found">14.09.12 Lost & Found">Exposição Lost & Found
Aumentar

Museu da Carris inaugura Galeria de Arte Contemporânea

Exposição Lost & Found em parceria com a Galeria Caroline Pagès

O Museu da CARRIS, que integra desde 2010 a Rede Portuguesa de Museus, continuando a posicionar-se como um pólo cultural da cidade de Lisboa, vai inaugurar, no mês de junho, na Galeria do Museu, a exposição Lost and Found, da artista Marta Moura. Este evento marca, ainda, o arranque da parceria com a Galeria de Arte Contemporânea Caroline Pagès, que será responsável, durante o próximo ano, pela programação, na nova Galeria do Museu da CARRIS, de diversas exposições individuais e coletivas.

A inauguração da primeira exposição tem data marcada para dia 21 de Junho, a partir das 18 horas e pode ser visitada até ao dia 29 de Setembro de forma gratuita, quer pelos visitantes do Museu da CARRIS, quer por colaboradores da CARRIS e por todos os interessados. Esta exposição retrata, num conjunto de pinturas em papel e ainda noutro de esculturas, os mais diversos objetos que diariamente se perdem nos veículos da CARRIS, como carteiras, livros, óculos, sapatos, brinquedos, guarda-chuvas, aparelhos de medição da glicemia ou mesmo próteses dentárias.

“Como repositório, um museu da vida quotidiana, cada objeto deixa adivinhar uma história. A importância sentimental e o valor material para a pessoa que o perdeu, as vivências subentendidas que cada coisa encerra, as possíveis transformações e consequências que a perda causou… Como arqueologia da vida contemporânea, a leitura dos objetos pode definir a própria estrutura e cultura da sociedade, como retrato da própria cidade caracterizado e mediado pelos objetos”, afirma Marta Moura.

Biografia Marta Moura

Em 2007 Marta Moura (Lisboa 1978) concluiu o Mestrado em Pintura pela FBAUL com o trabalho resultante exposto na Sala do Veado (MNHN) naquele ano, tendo completado já em 2002 a Licenciatura em Pintura na ESAD, Caldas da Rainha. Em 2007 foi selecionada para o III Prémio de Pintura Ariane de Rothschild em Lisboa e participou num reconhecido evento coletivo - Rasura - que teve lugar no espaço Avenida 211, também em Lisboa. Recentemente a artista foi selecionada para integrar a bienal Jeune Création Européenne 2011-2013 que viaja através da Europa, sendo apresentada também em Amarante, Portugal, em 2013. Nos últimos anos, a artista tem participado em diversas exposições coletivas na Áustria (Pavilhão de Portugal, Hangar-7, Salzburgo, 2009) e Portugal (XV e XVI Bienal de Cerveira, Galeria Luís Serpa Projectos, Junho das Artes, Óbidos, 2009 comissariado por Luís Serpa, Artecontempo e Hospital Júlio de Matos). O seu trabalho encontra-se ainda incluído na coleção da Fundação PLMJ (Lisboa), da Fundação Ilídio Pinho (Porto), do Museu da Bienal de Cerveira, na coleção Safira e Luís Serpa e em coleções privadas em Portugal, França e Áustria. A artista é representada pela Galeria Caroline Pagès em Lisboa, onde exibe regularmente.

Galeria Caroline Pagès

A Galeria Caroline Pagès (www.carolinepages.com) é uma galeria de arte contemporânea que abriu em 2007 num espaçoso apartamento de Lisboa. A fundadora Caroline Pagès é natural de França. Representa artistas estabelecidos e emergentes, tanto portugueses como internacionais, que produzem pintura, desenho, fotografia, instalação, escultura e vídeo. A galeria trabalha na promoção dos seus artistas numa escala internacional, produzindo exposições nas suas instalações assim como em centros de arte, instituições, museus e outras galerias.

18.05.12 Venha comemorar o Dia Internacional dos Museus
Aumentar

O Museu da CARRIS associa-se mais uma vez aos festejos do Dia Internacional dos Museus – 18 de maio – e Noite dos Museus19 de maio.

O Dia Internacional dos Museus comemora-se desde 1977. Este dia é uma ocasião para realçar o papel e importância dos Museus no desenvolvimento das sociedades. Recentemente, cerca de 30.000 Museus de mais de 100 países comemoram este dia, facultando ao público uma grande variedade de iniciativas.
O tema deste 35.º aniversário do Dia Internacional dos Museus é MUSEUS NUM MUNDO EM MUDANÇA: NOVOS DESAFIOS, NOVAS INSPIRAÇÕES.

O Museu da CARRIS estará aberto, facultando entrada gratuita:
                18 de maio (6.ª feira) – das 10:00 às 17:00 horas
                19 de maio (sábado) – com entrada gratuita entre as 17:00 e as 24:00 horas.

Aproveite e assista ao concerto da Orquestra Ligeira da Banda de Música da CARRIS, que se realiza às 21:30 horas, no Museu da CARRIS no dia 19 de maio. Consulte o programa deste dia aqui.

Participe, visite o Museu da CARRIS!

12.05.12 Noivos de StºAntónio visitam Museu CARRIS
Aumentar

Pelo quinto ano consecutivo, a CARRIS “apadrinhou” os Casamentos de Santo António, proporcionando um passeio muito especial aos 16 casais de Noivos que, este ano, concorreram a esta iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Lisboa, organizando uma viagem a bordo de um autocarro de dois pisos, da coleção do Museu, entre os Paços do Concelho e Santo Amaro.

O passeio decorreu no passado dia 12 de maio (sábado), tendo os noivos entrado a bordo do autocarro nos Paços do Concelho, com destino ao Museu da CARRIS, em Santo Amaro.

Após o passeio, os Noivos de Santo António foram recebidos no Museu da CARRIS onde tiveram a possibilidade de visitar este espaço cultural.

O Museu da CARRIS decidiu, deste modo, colaborar nesta iniciativa, já com tradição na cidade de Lisboa, proporcionando uma viagem no tempo a tão especiais passageiros.

12.03.12 Amarelos da CARRIS na imprensa europeia
Aumentar

Visite o Museu da CARRIS e conheça o novo espaço de exposições temporárias, denominado Galeria Museu da CARRIS.

Percorra a exposição "Os Amarelos da CARRIS na Imprensa Europeia", presente neste espaço a partir de 12 de março.

Os "amarelos da CARRIS na imprensa europeia” é uma exposição que estará a partir de março patente na galeria de exposições da CARRIS tendo esta exposição estado já patente no museu da CARRIS: elétricos, elevadores e ascensores tornaram-se elementos indissociáveis da paisagem e do quotidiano lisboeta, utilizados diariamente por milhares de pessoas, entre os quais turistas que utilizam este meio de transporte para conhecer os recantos da capital.
A função turística dos elétricos alfacinhas fez-se notar pelos artigos e reportagens de vários países europeus, publicados entre 2000 e 2004, que destacaram os elétricos, elevadores e ascensores como verdadeiros "símbolos" da cidade de Lisboa.
Esses artigos e peças jornalísticas europeias foram transformados em 30 painéis onde figuram carreiras "clássicas" como a do elétrico 28 que liga o Martim Moniz aos Prazeres, em Campo de Ourique, dando acesso ao Castelo de S. Jorge e a algumas das mais belas panorâmicas da cidade, e reunidos numa exposição intitulada «Os Amarelos da CARRIS na Imprensa Europeia», que esteve patente no Museu da Carris e volta agora a estar disponível para quem a quiser visitar, face ao seu interesse e atualidade, na Galeria de Exposições da CARRIS na rua 1.º de maio. 
Nos artigos jornalísticos expostos foram também retratados outros ícones históricos que já se tornaram ex-libris de Lisboa, como o elevador de Sta. Justa e os ascensores da Glória, Bica e Lavra. Esta exposição assentou no conceito de uma integração natural da CARRIS na paisagem da capital e constituiu um reconhecimento da beleza quotidiana que os "alfacinhas" desfrutam, há mais de 100 anos e um contributo da imprensa internacional para a projeção turística de Lisboa.